Compartilhe

Ação contra os pedágios deve ser protocolada até 15 de dezembro

Publicado em 21/11/2019 às 10:28 - Atualizado em 21/11/2019 às 10:28


Créditos: Divulgação Baixar Imagem

Florianópolis - A AMREC participou ontem (20/11) pela manhã em Florianópolis, por meio do presidente Clésio Salvaro e do diretor executivo, Vanderlei Alexandre, da reunião junto as lideranças da região sul para tratar da judicialização do leilão de concessão do trecho sul da BR-101. A decisão foi tomada após audiência pública realizada em Tubarão, no início do mês. Participaram do encontro representantes da Federação Catarinense de Municípios (Fecam), e das outras duas associações de municípios da região sul, AMESC e AMUREL.

Segundo o diretor executivo da Associação dos Municípios da Região Carbonífera (AMREC), Lei Alexandre, o encontro foi de encaminhamentos. “Foi uma reunião para discutir os pontos e as tarefas de cada um, o que terá que ser feito para fazer uma proposição que nos dê um resultado positivo”, explica.

Para o presidente da AMREC, os pedágios são importantes, mas os valores que pretendem cobrar e o número de quatro praças não é cabível. “A tarifa está muito além do que imaginávamos. Pelas vias políticas não foi possível, o pessoal da ANTT nos deu as costas. A reunião foi importante para buscarmos subsídios e derrubar esse edital”, comentou o prefeito.

Para montar a ação, a Fecam contratou uma equipe de assessoria jurídica, que usará as informações fornecidas pelo deputado Volnei Weber (MDB), que destacou uma série de possíveis irregularidades no edital de concessão, e também pelas três associações de municípios do Sul (AMREC, AMESC e AMUREL). Além disso, serão chamadas entidades para fortalecer o movimento.


Galeria de Fotos

  • {{galeriaImagens.length + galeriaVideos.length - 12}}
  • {{galeriaMultimidia.length + galeriaImagens.length + galeriaVideos.length - 12}}
Fechar

Avenida Santos Dumont, 855, Pinheirinho, Criciúma - SC
CEP: 88804-490